Textos

Quem está te escrevendo?

 

Quem está te escrevendo?  É você mesmo? Ou seus pais? Sua família? Seus amigos? Quem?

Contando mais um causo que eu percebi na peça “Quem souber morre!”, durante um dos momentos que me fizeram chorar,  ele insere a história da bebê abandonada que ele com pena decidiu criar uma história para ela e também para sua amiga que queria uma peça onde usasse um vestido de noiva. Faz uma verdadeira biografia dessa garota até o casamento, compartilha com os espectadores a felicidade de ter dado a ela uma história linda como ela merecia, mas quando a garota sabe a verdade se revolta, descobre que sua vida nada mais é do que um conto, uma invenção na mente do autor, nosso intérprete como grande ator consegue passar a angústia dela, a dor que me fez soltar as mais sinceras lágrimas de emoção.

Mas não é só de lágrimas que fica esse ato, mas de provocação para o espectadores, de silêncio e pensamentos de cada um que ali está, pois a pergunta de Ricardo Castro vai fundo ao nosso interior, nos chama a atenção e nela nos perdemos em agonia para responder sua pergunta que deve dizer foi um pouco perturbadora. Qual a grande pergunta?  “Quem está te escrevendo? Você? Seus pais? Sua família? Seus amigos?”

Ah Ricardo como gostaria de poder te responder, mas não pude, estava me revisitando lá dentro, revendo minha história, a verdade, a qual tive medo de contar foi que em nenhum momento havia percebido tanto quanto ali que minha vida não era de minha autoria, que o pouco que tinha escrito nela, não chegava nem perto do suficiente para assinar meu nome no final desse livro fantástico.

A mim cabiam os sonhos, aos outros os atos reais, como pude me enganar? Que tipo de livro eu estava escrevendo, um que nem eu mesma fiz? O conflito havia de alguma forma se instalado em mim fortemente, conflito que eu já tinha silenciado antes, mas que retornou com as palavras, os gritos da noiva da peça. O que? O que a tornaria mais real que eu? Se de fato alguém também escrevia minha vida? O que poderia ser mais perturbador do que pensar nisso?

Algo que falaram levantou em mim uma guerra interna que nem mesmo eu sabia que existia, essa guerra interna chamava-se incerteza e el corroía tudo aqui. No meio disso tudo um de meus colegas de classe disse algo que só fomentou e explodiu tudo o que sentia  ” Eu escreverei minha redação mesmo que a nota não seja mil”, isso me tocou, se ele tinha coragem de tomar a caneta, a maquina de escrever ou o computador e se tornar o autor de seu próprio livro por que eu não tinha a mesma coragem?

Porque me escondia atrás da segurança e me acorrentava a correntes de ouro e promessas ridículas as quais eu não dava a mínima importância, por que eu escondia a verdade achando que não era boa o suficiente ? Não é melhor falhar  no que se gosta do que ter sucesso no que odiamos? É que nossa sociedade capitalista e hipócrita prefere ter pessoas frustadas, mas com milhões no banco do que pessoas felizes e humildes, ser humilde é um erro, ser rico, mesquinho e ruim é o certo.

Deveríamos escolher algo que amamos, algo que nos faça feliz, algo que seja nossa escolha. Porque deixamos de acreditar em nós mesmos, será que esquecemos que aqueles que se destacam são os que lutam pelo que acreditam, pelo que amam e que até estes falham? Precisamos esquecer o dinheiro,  ele é bom, mas pode ser terrível, quanto ricos são infelizes? Por que será? Por que?

Pare de deixar pessoas com olhar apenas no dinheiro te escreverem, sei que seus pais querem pra você um futuro bom e esse futuro bom pra eles envolve muito dinheiro, mas e você? Precisa mesmo de tanto dinheiro pra ser feliz? Precisa desse curso pra ser feliz? Desse emprego? Será? Ainda dá tempo de tomar o controle do livro, ainda é possível escrevê-lo com um futuro brilhante, mas o seu brilhante.

Escreva-se, tome coragem, faça o que te fará feliz  e claro o que deixará bem consigo mesmo em dez anos, quando se olhar daqui a vinte anos de onde você está agora, você se vê feliz? Mude tudo, só você deve escrever sua biografia, faça dela uma autobiografia, porque se você não o fizer, o que te tornará mais real que ela? Não responda a ninguém além de si mesmo, encontre a resposta e então conseguirá encontrar tudo que precisa. A cima de tudo se escreva pois você só poderá escrever a sua história uma vez e se no final você a odiar poderá não ter tempo de refazê-la!

 

 

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s